Você sabe o que é fibromialgia?

A fibromialgia é uma síndrome reumática de causa pouco conhecida, que atinge predominantemente mulheres com idade entre 40 e 55 anos

Fisioterapeuta Gabriela Garbi da Rocha
Fisioterapeuta Gabriela Garbi da Rocha

Dores que se espalham por todo o corpo sem um motivo aparente. Pode ser fibromialgia, síndrome reumática de causa pouco conhecida, mas que atinge predominantemente mulheres com idade entre 40 e 55 anos. “É caracterizada por dor muscular generalizada no corpo com presença de pontos dolorosos à palpação, acompanhada de sintomas de fadiga, e alterações de sono, memória e humor”, explica a fisioterapeuta Gabriela Garbi da Rocha.

Os sintomas podem começar após um trauma físico, uma cirurgia, uma infecção ou uma tensão psicológica significativa. Em outros casos, os sintomas se acumulam gradualmente ao longo do tempo sem que se consiga determinar os fatos geradores. E, as mulheres são cerca de 10 vezes mais propensas a desenvolver a fibromialgia do que os homens.

“Possivelmente existem causas genéticas, uma vez que casos de fibromialgia tendem a ocorrer em família. Pode haver certas mutações genéticas que tornariam o portador mais suscetível a desenvolver o transtorno. Entretanto, até agora não foi descoberto o gene causador da doença”, afirma a profissional, que complementa: “Acredita-se ainda que os receptores de dor no cérebro desenvolvem uma espécie de memória da dor e tornam-se mais sensíveis, o que significa que podem reagir exageradamente a sinais de dor”.

Os exercícios físicos, de forma geral, são considerados benéficos para os pacientes com fibromialgia, entre eles, o pilates se mostra muito eficaz. “Alguns dos benefícios gerais do método pilates é melhorar a flexibilidade do corpo e a saúde em geral, com ênfase na estabilização e força abdominal, postura e coordenação da respiração com movimento, resistência muscular abdominal e equilíbrio estático e dinâmico”, explica Gabriela. Nos exercícios de pilates há produção de endorfina e serotonina, que alivia as dores principalmente musculares.

No paciente com fibromialgia, o alívio da dor e a maior flexibilidade fornecida por exercícios de pilates pode contribuir para o desempenho físico, melhorado e reduzindo as necessidades de energia para o movimento das articulações (por reduzir a tensão do tecido). “Outra importante contribuição da técnica de pilates é evitar posições que exigem recrutamento muscular desnecessário e reduzir a fadiga precoce que prejudica a estabilidade desse paciente”, finaliza a fisioterapeuta Gabriela Garbi da Rocha.

Mais informações no: (18) 99753-7654.