Vinhos uruguaios: Bodega Juanicó

O Santo Vinho, coluna de Silvio Graboski

Continuando a escrever sobre a viagem ao Uruguai na semana do feriado de 12 de outubro, vou falar hoje sobre a visita à Bodega Juanicó.

Localizada a cerca de 30 minutos de Montevideo, Juanicó é a maior produtora de vinho do Uruguai e também é a fabricante do vinho mais consumido por lá: o vinho Dom Pascual.  Em qualquer restaurante, lanchonete ou bar se pode pedir uma taça de Don Pascual, principalmente aquele básico feito com a uva Tannat. E não pense que é um vinho de baixa qualidade, pelo contrário, mesmo a linha de entrada da vinícola é bem recomendável.

Chegando à Vinícola realizamos um passeio pelos vinhedos e pela parte industrial e, em seguida, nos dirigimos ao restaurante, onde houve uma degustação harmonizada.

Juntamente com queijos e presuntos, foram servidos cinco vinhos, começando por um bom branco, das uvas Chardonnay e Viogner, seguido por um rosé, e, na sequência, três tintos.

O primeiro tinto foi o Don Pascual, Tannat, 2017, crianza. A denominação “crianza” indica que o vinho passou por madeira, mas não por muito tempo. Nesse caso o vinho ficou em barris de carvalho por 6 a 9 meses. É um vinho básico da vinícola, mas que demonstra qualidade e personalidade. Elaborado com a uva Tannat, a uva mais conhecida do Uruguai, apresentou bons aromas defrutas vermelhas. Nopaladar mostrou ser um belo representante da uva Tannat, com taninos muito ativos, acidez equilibrada e boa estrutura. Aliás, a uva Tannat produz vinhos muito tânicos, fortes e bem estruturados.

O segundo vinho servido foi o Don Pascual, Selecióndel Enólogo, 2015. Trata-se de um vinho de autor, feita pela enóloga da Vinícola, Adriana Gutierrez, por meio de uma seleção de barricas, tendo por objetivo alcançar a perfeita harmonia entre as castas que o compõem (Cabernet Sauvignon, Merlot e Tannat) e a madeira onde os vinhos amadurecem antes de entrar no blend. Na taça mostrou ser um vinho elegante, redondo, com boa estrutura. A mistura das castas serviu para aveludar o vinho e amainar a robustez da Tannat. Um vinho de qualidade, parecido com vinhos franceses, bem gastronômico, ideal para acompanhar carnes vermelhas.

O último vinho da rodada foi o Don Pascual, Alianza, Cabernet/Cabernet, 2009, que apesar de não ser um Tannat, foi a estrela do dia, o que provou que o Uruguai não produz somente bons Tannats. Um vinho de corpo intenso, aromas de pimentão verde, taninos fortes, porém domados, o vinho enchia a boca e pedia um novo gole. Trouxe uma garrafa e vou experimentar com uma boa carne “roja”, que certamente harmonizará perfeitamente.

Se você tiver a oportunidade de visitar o Uruguai, não deixe de ir à Vinícola Juanicó, que lá eles chamam de Estabelecimento Juanicó.

Se não for viajar compre uma garrafa de Don Pascual, pode ser o básico, da uva Tannat e você verá que o Uruguai sabe fazer bons vinhos.