Com a chegada do calor pensamos logo em consumir bebidas leves e refrescantes, vinhos brancos, por exemplo.

Mas nem todo vinho branco é leve, uma vez que existem brancos encorpados e opulentos, como os vinhos feitos com as uvas Chardonnays, Viogniers e Sémillon.

Contudo, nem todos os Chardonnays são encorpados. O vinho branco leve mais famoso do mundo é o francês Chablis, produzido exatamente com a Chardonnay. Ocorre que não é apenas o tipo da uva que caracteriza um vinho, mas também o tipo de solo e a forma como é produzido. O Chablis é um vinho leve e mineral, resultado dos solos calcários onde a uva é cultivada.

Além do Chablis temos uma boa variedade de uvas que produzem brancos leves. Dentre elas a Sauvignon Blanc é o destaque.  Cultivada em diversos países, como França, Nova Zelândia, Chile, África do Sul, Austrália e Estados Unidos, resulta em vinhos frutados, secos e com acentuada acidez.

Aliás, a acidez é o grande segredo dos brancos leves, pois é ela que deixa a bebida refrescante seca, características essenciais desse tipo de vinho. Sem a acidez o vinho se revelaria insonso e sem graça.

Outras uvas que produzem vinhos brancos leves são a Albariño, cultivada principalmente na Espanha e em Portugal,  a Pinot Grigio, a Chenin Blanc e a Muscadet.

Os brancos leves apresentam aromas cítricos, minerais e de maçã, com final longo e refrescante, ideais para serem tomados em dias de verão na praia ou à beira da piscina. Devem ser servidos gelados  e –se perfeitamente com comidas leves, como entradas e saladas ou peixes.

Não são vinhos de guarda, por isso devem ser apreciados ainda jovens, razão pela qual, quando for comprar, escolha sempre a safra mais nova que puder.

Outro vinho leve, ideal para os dias quentes, é o rosé. Esse vinho ainda não caiu nas graças dos brasileiros, o que é estranho, uma vez que nosso clima quente é propício para o seu consumo.

Os rosés são elaborados em diversos países e com quase todas  as variedades de uvas brancas e tintas. São vinhos muito frutados, com boa acidez e refrescância e apresentam aromas dominantes de morango, framboesa, pétalas de rosas e cascas de laranja. Devem ser consumidos  ainda jovens e servidos bem gelados, podendo, inclusive, acompanhar um bom churrasco num dia quente de verão.

Além de brancos e rosés também temos alguns tintos que são leves e frutados, fáceis de beber e de harmonizar.

A estrela dos vinhos tintos leves é a uva Pinot Noir, que produz os famosíssimos vinhos da Borgonha.  Além dos vinhos da Borgonha encontramos bons vinhos de Pinot Noirs feitos no Chile, com preços mais em conta.

Outra uva que produz vinhos tintos leves e frescos é a Gamay, uva criadora dos famosos vinhos Beaujolis da Borgonha.

Na Itália se produz um vinho leve e refrescante que tem fama mundial: o Valpolicella.

Os vinhos tintos leves ficam melhores quando servidos ligeiramente resfriados (entre 10 e 12 graus), pois quanto mais gelado, mais frutado e complexo será seu sabor. São ótimos para serem tomados sozinhos ou acompanhando carnes leves, saladas e petiscos.