Vereadores registram boletim de ocorrência contra acusações feitas em rede social

Durante sessão de segunda-feira (19), o Legislativo demonstrou indignação às acusações feitas por empresário no Facebook

“Tem gente que quer se promover, fazendo abaixo-assinado que o vereador recebe mais de R$ 4 mil, por mês. Isso é uma mentira. Pessoa que quer sair candidato a vereador ou vice-prefeito, não tem direito de ir à mídia falar ou escrever mentiras. Vai ter que provar que sou ladrão e corrupto”. A declaração foi feita pelo vereador Moacyr Pacheco Duarte (PT), ao responder críticas feitas pelo empresário Márcio Firmino Gonçalves.

Durante sessão de segunda-feira (19), o Legislativo demonstrou indignação às acusações feitas pelo luceliense por meio de rede social. E, na terça-feira (20), os vereadores registraram boletim de ocorrência na Polícia Civil, para que o acusado responda sobre as declarações feitas no Facebook.

Uma das declarações do empresário que motivaram a denúncia foi: “Lucélia está cansada destes políticos ladrões incompetentes e corruptos. Muitos dizem que confiam em mim para acabar com essa corja. E que comecem as mudanças”, informou Moacyr Paschoal, durante a sessão.

O presidente do Legislativo Valdemir Antônio Uemura (DEM) também mostrou indignação às acusações. “Só tenho que lamentar profundamente. Fizemos a ocorrência policial contra as inverdades que estão sendo postadas. Plantar inverdades, caluniar e injuriar são crime”.

Todos os vereadores prestaram depoimento na Delegacia de Polícia para que sejam apuradas as acusações e foram entregues cópias das postagens feitas no Facebook.

Além das acusações sobre corrupção, o posicionamento crítico do Legislativo é também referente a abaixo-assinado que visa reduzir o salário dos vereadores por meio de projeto de Lei de iniciativa popular. Mas, segundo os legisladores lucelienses, o empresário coleta as informações propagando falsas informações sobre a Câmara Municipal.

Confira o posicionamento dos vereadores durante a sessão:

Ney
Ney Roberto Dadamo (PV)

Ney Roberto Dadamo (PV) – Tenho minha consciência tranquila. Tudo que é votado, as consequências também caem sobre mim. Se asfaltar uma rua, é porque é do prefeito. Se asfaltar outra, é porque não passa ninguém. É fácil criticar. Vamos ver se essas pessoas têm relevância ao colocar seu nome para ser apreciado pela população. O que não pode é passar inverdades aos lucelienses, se passar por ‘carneirinho’ e os vereadores por corruptos e ladrões. E se me chamar de corrupto, vai ter que provar, porque estarei indo a Justiça. Quando diz vereadores, estão englobando todos. O que não dá é que todos os problemas que acontecem no Executivo, o Legislativo ser responsabilizado.

Moacyr
Moacyr Paschoal (PT)

Moacyr Paschoal (PT) – Tem gente que quer se promover fazendo abaixo-assinado, que o vereador recebe mais de R$ 4 mil, por mês. Isso é uma mentira. Pessoas que querem se promover, que quer sair candidato a vereador ou vice-prefeito, não tem direito de ir à mídia falar ou escrever mentiras. Vai ter que provar que sou ladrão e corrupto. Na hora que sair candidato a vereador, vai lá e mostra qual seu plano de trabalho ou sai contando as mentiras que irá fazer isso ou aquilo, como muitos políticos. Ele não participa de nenhum partido e está pleiteando o cargo de vice-prefeito. A pessoa tem que ter dignidade para postar qualquer coisa. Então querendo angariar votos por meio de mentiras e inverdades. Acredito em todos os vereadores, independente de sigla partidária.

TOninho de Mello
Antônio de Mello (PSDB)

Antônio de Mello (PSDB) – Se alguém de forma irresponsável fez algum comentário na internet, tem que provar. Os vereadores não podem ficar quietos. Agora tem que mostrar quem é corrupto.

 

Fagner
Fagner Vinícius Bussi (PSDB)

 

Fagner Vinícius Bussi da Silva (PSDB) – Não entrei na política para ganhar dinheiro. A população tem que participar mais das sessões, para saber o que acontece. Todos têm o mesmo objetivo, o bem da cidade. E algumas vezes, o vereador tem mãos atadas, dependendo do prefeito, de recursos de deputados.

 

Romildo
Romildo Bernardo (PT)

Romildo Bernardo (PT) – Nos deparamos com as cobranças da população, não estão errados. Mas, muitas vezes, a população inverte os papéis entre as responsabilidades do Legislativo e Executivo. Tudo, absolutamente tudo em relação a este vereador, desde o primeiro dia de mandato, o presidente da Câmara está autorizado a mostrar a população. Minha vida é limpa, estou na vida pública e nunca respondi processo. O debater é salutar, mas a informação leviana, de forma desonesta e tentando ludibriar as pessoas, é inadmissível.

Valdecir
Valdecir da Sabesp (PSDB)

 

Valdecir Pereira da Silva (PSDB) – Sou uma pessoa simples, que trabalha para o bem da população. Mas, corrupto e ladrão, não sou. Saímos para viajar, arriscamos nossa vida, pensa que é fácil ficar na porta de secretaria, correndo atrás de deputado, governador? Entrei para trabalhar, não para brincar com a população. Fico muito chateado com as acusações.

 

 

Angela
Ângela Iura (PV)

Ângela Iura (PV) – O que me deixa triste, indignada e aborrecida é quando as pessoas generalizam. É a mesma coisa que virar para o povo e dizer que é um bando de bandidos, mas não. Temos as pessoas boas, que pagam seus impostos, são corretas. Então, não podemos generalizar, temos que saber diferenciar. Muitas pessoas já me perguntaram se o salário dos vereadores é de R$ 4 mil, bom, nunca recebi. É mentira, não dá para concordar. A população não pode acreditar em calúnias. Quem está roubando? Tem que provar.

 

Mirão
Mirão (DEM)

Mirão (DEM) – Fale a verdade, faça seu manifesto democraticamente, mas faça de uma maneira verdadeira, não minta, inflame a população porque é perigoso. A Câmara Municipal tem regimento interno, obedece à lei orgânica do município. Nós, da secretaria, não fomos procurados para se quer prestar informações sobre este projeto de iniciativa popular. Estamos à disposição, ninguém é contra nada. Mesmo porque a Lei não permite que sejamos contra, desde que realmente seja um manifesto verdadeiro, salutar, que tenha e venha de encontro com o bem estar da população. A secretaria da Câmara, como todos os vereadores, estão dispostos a prestar esclarecimentos e agir dentro do Regimento Interno. Isto aqui não é um circo, como publicaram. Cadê o respeito deste cidadão com as autoridades constituintes neste município pelo voto da população? Está faltando com respeito inclusive com os lucelienses. E ainda quer ser candidato a vice-prefeito do município. Tem pessoas trabalhando dignamente, vamos agir com mais responsabilidade, não se aproveite do momento para se promover. Este momento é de ajuda. Precisamos das ideias e opinião de todos. Porque não traz uma sugestão? Ou está guardando o ‘kit mágica’ para quando entrar?

Empresário explica críticas

Empresário Márcio Firmino Gonçalves explica postura  crítica nas redes sociais
Empresário Márcio Firmino Gonçalves explica postura
crítica nas redes sociais

Procurado pelo IMPACTO, o empresário Márcio Firmino Gonçalves explicou as críticas feitas em rede social e se posicionou sobre o boletim de ocorrência feito pelo Legislativo. “Essa atitude mostra a cara da política de Lucélia, ao ponto de todos os vereadores se juntarem para irem fazer um boletim de ocorrência contra apenas um. Entendo que se sentiram magoados, já pedi perdão em particular ao vereador Moacyr Pascoal, para quem expliquei que a corrupção que me refiro é a nacional, como todos sabem. Já retirei o comentário. Peço perdão também aos que mal interpretaram as minhas palavras, porém precisa de um mínimo de vontade e inteligência para entender algumas coisas que são postadas nas redes sociais”.

Questionado sobre a denúncia de ter acusado os vereadores de corrupção, Gonçalves se justifica dizendo que se refere aos políticos na esfera nacional. “Sim, considero corrupto quem vai a uma vila humilde oferecer gás, cesta básica, paga contas de água e luz, gasolina, entre outras coisas que estou descobrindo e juntando testemunhas para se manifestar no momento certo. Assim, poderão nas próximas eleições fazer uma política mais justa, sem compra de votos. A população precisa saber que quatro anos valem mais que uma cesta básica, por exemplo. Tudo isso será falado e provado em juízo”.

O empresário também explica a divulgação que os vereadores recebem mais de R$ 4 mil, por mês. “O valor do salário que está no site da Câmara Municipal é de R$ 2.504,33, mas Moacyr Pascoal alegou na sessão que era de R$ 1.950. Isso fora as viagens e subsídios de R$ 1.125, constantemente retirado pelos vereadores. O presidente da Câmara ganha R$ 3.822.39, contando com outros benefícios. Em nenhum momento se vê como é gasto e muito menos, as notas”.

Perguntado se é candidato à próxima eleição, Gonçalves não descartou a possiblidade de disputar o pleito em 2016. “Fui acusado de usá-los para fazer campanha política, como se tivesse interesse em me sujar com nomes que não oferecem credibilidade a população. Porém, não estou filiado a partido algum. Até me candidataria se houvesse um partido único visando interesse da população, sem entrar devendo favores e empregos, muito menos coligados a partidos que há anos vem indiretamente sendo governado pelas mesmas pessoas. E deixo claro, aos nobres vereadores, que farei o possível para estar na Câmara em 2017, caso meu projeto não seja votado, assim posso apresentá-lo com condições muito mais pesadas do que já coloquei, posso garantir”.

Além da iniciativa de propor a redução do salário dos vereadores, Gonçalves pretende, segundo ele se a Legislação permitir, sugerir a diminuição dos ganhos do vice e do prefeito. “Gostaria de deixar claro de que o objetivo não é prejudicar ninguém, apenas fazer uma política correta que visa o bem do povo e sem visar salários ostentosos. Se temos tantos trabalhadores que cumprem uma jornada de 40hrs semanais, trabalhando varrendo ruas, catando lixos, cuidando de doentes e de crianças, e ganham um salário mínimo, no que os vereadores são melhores para ter tanto dinheiro e regalias?”, contesta o empresário.

4 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here