Reitor da UniFAI, Paulo Sergio da Silva, com os professores Gabriela Gallucci Toloi Cardoso e José Aparecido da Silva

A UniFAI (Centro Universitário de Adamantina) teve um projeto classificado pelo Ministério do Esporte no Programa Segundo Tempo – Paradesporto (PST), destinado prioritariamente a pessoas com dEficiência. O valor global da proposta é de R$ 158.144,48, com vigência de dois anos.

O projeto é de autoria técnica de Gabriela Gallucci Toloi Cardoso, coordenadora do curso de Educação Física, com suporte de José Aparecido dos Santos, coordenador de pesquisa, e visa desenvolver atividades acadêmicas que atendam à comunidade.

A iniciativa desenvolverá um programa de atividades físicas adaptadas e de iniciação as práticas esportivas para crianças e adultos com “dEficiência” física, intelectual e sensorial. Além disso, capacitará os acadêmicos para atividades em termos de esporte educacional adaptado, qualidade de vida e saúde para pessoas com “dEficiência”.

“Ao mencionar propositalmente deficiência como dEficiência, quero mostrar que vejo essas pessoas e como trabalho com elas, enfocando o desenvolvimento em suas Eficiências e não em suas dEficiências”, enfatizou Gabriela.

O projeto tem caráter microrregional, visando atender os municípios de Adamantina, Mariápolis, Florida Paulista e Pacaembu, que segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas), somam 17.385 habitantes com algum nível de dEficiência auditiva, intelectual, motora ou visual. Serão atendidos 60 dEficientes em três pólos de atividades esportivas, sendo eles o Campus III, Campus IV (ACREA) e a EMEF Navarro de Andrade.

A iniciativa contempla também quatro bolsistas acadêmicos do curso de Educação Física e um professor monitor. A coordenação é de responsabilidade de Gabriela Toloi.

Para o coordenador de pesquisa da UniFAI, a classificação é o primeiro passo para que Adamantina se torne um centro paradesportivo, propiciando atividades a um setor da comunidade que demanda a solidariedade de todos os outros e o empenho dos diversos entes governamentais: municipal, estadual e federal.

Ele ressaltou ainda que o curso de Educação Física da UniFAI é coordenado por uma renomada estudiosa do paradesporto no Brasil e, este incentivo do Ministério do Esporte, é o primeiro passo para atender os dEficientes da Nova Alta Paulista.

“Esta conquista é algo importante não só para a UniFAI, Adamantina e região, mas para todo o Brasil, pois, o país tem se destacado nas paraolimpíadas e é necessário incentivar a prática paradesportiva, dando oportunidades a novos atletas”, disse.

A próxima etapa depende das orientações dos servidores do Ministério do Esporte para cadastrar a proposta no Sistema de Convênio do Governo Federal e assinatura do convênio.