Sergio Barbosa, sebar@uol.com.br

“Temos a arte para que a verdade não nos destrua”. (Da Vinci)

“A guerra é a escolha daqueles que não vão lutar.” (Bono Vox)

“Elvis Presley é o Big Bang do rock and roll, o começo de tudo.” (Bono Vox)

“Simplicidade. Isso é o que eu tenho em mente no momento. Antigamente, eu costumava pensar que poderia fazer qualquer coisa, e eu queria fazer tudo: escrever um livro, fazer um filme, estar numa banda, ter uma família, escovar os dentes três vezes ao dia... Agora, eu só quero é paz" (Bono Vox)

Nestes últimos artigos, uma das preocupações deste articulista é com temas e temáticas relacionadas com o mundo artístico, em especial, a música no contexto da metacomunicação como uma proposta em tempo de pós-globalização midiática para os amantes desta arte cultural...

O contexto plural deste tempo, convoca o ser humano para um desencontro a mais frente às mudanças do Planeta Terra em sua performance acima do bem e do mal para os simples mortais num cenário apocalíptico e sem fins religiosos como determina a nossa vã filosofia nada ocidental...

A década de 80, para muitos críticos do cenário musical como os anos perdidos para isto e mais aquilo, deixou muitas recordações para os amantes desta mesma arte, ou seja, apesar das criticas oriundas destes anos sem expectativas para a maioria das pessoas, proporcionou, também, algumas descobertas para o outro lado em pauta...

Assim, a banda irlandesa, U2 apareceu neste contexto musical dos anos 80 com uma proposta além da imaginação dos críticos de plantão, aqui, o surgimento para o sucesso do U2, segundo versões, o nome foi escolhido em homenagem a um avião espião norte americano, talvez, mais uma lenda sobre as muitas Histórias do Rock and Roll...

Sob a liderança incontestável de BONO VOX, a banda alcançou o apogeu da glória nos anos 80 com apresentações fora-de-série, entre as quais, na cidade de Denver, Colorado, EUA, no ano de 1983 com um “show ao vivo” com o tema: “UNDER A BLOOD RE SKY”...

As músicas deste encontro “ao vivo” fazem o momento do início dos anos 80, quando a banda irlandesa fazia e acontecia no cenário internacional com suas letras de protesto contra tudo e todos ao mesmo tempo, colocando BONO VOX de encontro com as mudanças nas áreas afins aos interesses da proposta musical do U2...

Não se pode deixar de registrar que esta década, os anos 80, foi uma marca registrada para muitas aventuras em áreas distintas, bem como, uma ressaca da década anterior, os anos 70 que retrataram a busca de uma juventude perdida em meio as suas contradições do passado frente o futuro, deixando de lado o presente como registro deste tempo catalisador do prisma do ser humano frente à utopia de uma esperança perdida num horizonte de conflitos do interior com o exterior do homem  e da mulher...

O Álbum do U2 “UNDER A BLOOD RED SKY” completa este ano, mais de duas décadas de apresentação “ao vivo”, assim, os anos passam, porém, a marca fica a mesma de sempre pela voz de BONO VOX como um diferencial para os amantes dos bons e velhos tempos do ROCK AIND ROLL...

Espera-se, que o futuro seja melhor do que o presente e distante do passado em tudo que nos rodeia, mas, algumas coisas são eternas para o homem deste tempo que se chama hoje, aqui, a música serve como início, meio e quase fim deste encontro por meio de um desencontro da arte eternizada pela banda irlandesa U2...

AVE U2!

AVE BONO VOX!