Sódio: saiba como reduzir a ingestão diária

De acordo com o Ministério da Saúde, os brasileiros consomem, em média, 12g de sal por dia, quantidade 2,5 vezes maior do que a recomendada pela OMS

O Brasil reduziu, em quatro anos, mais de 14 mil toneladas de sódio de alimentos industrializados. O dado, apresentado em junho, é resultado das três primeiras fases do acordo, que iniciou em abril de 2011. A meta é que, até 2020, as indústrias do setor promovam a retirada voluntária de 28.562 toneladas de sal do mercado brasileiro.

Na primeira fase do acordo de redução de sódio foram retiradas 1.859 toneladas provenientes de alimentos, como massas instantâneas e pães de forma. Na segunda fase, 5.793 toneladas do sódio foram tiradas de batatas fritas e salgadinhos. E na terceira fase, em que foram incluídas margarinas, cereais matinais, caldos (gel e cubos) e temperos prontos, 94,5% das 22 de empresas analisadas atingiram a meta.

A maior redução foi observada nos temperos, com queda de 16,35%, seguida pela margarina, com 7,12%. Outras categoriais também registram queda: cereais matinais (5,2%), caldos e cubos em pó (4,9%), temperos em pasta (1,77%), tempero para arroz (6,03%). Caldos líquidos e em gel é a única categoria que teve aumento na concentração de sódio (8,84%).

De acordo com o Ministério da Saúde, os brasileiros consomem, em média, 12g de sal por dia, quantidade 2,5 vezes maior do que a recomendada pela OMS (Organização Mundial da Saúde), que é de 5g diárias. No entanto, apenas 14,9% da população se dão conta do consumo excessivo, segundo dados da pesquisa Vigitel (Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico) 2015.

A nutricionista Natália Bonato Morini explica que os adultos deveriam consumir ‘menos de’ 2g de sódio – ou ‘menos de’ 5g de sal – e pelo menos 3,51g de potássio por dia. “Uma pessoa com níveis elevados de sódio ou baixos de potássio pode desenvolver hipertensão, fator que aumenta o risco de doenças cardíacas e derrames, as duas principais causas de morte e incapacidade no mundo”, alerta.

Dicas de consumo sem prejudicar a saúde

Natália dá algumas dicas de consumo de sódio sem prejudicar a saúde. A primeira recomendação da especialista é evitar alimentos com quantidade igual ou superior a 400mg de sódio por 100g ou 100ml, como pães, massas instantâneas, doces e refrigerantes. “Retire o saleiro da mesa”, indica.

“Não ultrapasse 5g de sal diariamente (5 pacotinhos ou uma colher rasa de chá). Faça o seu medidor de sal dividindo a quantidade usada do pacote por pessoa e pelos dias para ver se não está exagerando. Não dose o sal por pitada – use uma colher. Evite o aditivo – glutamato monossodico – utilizado em alguns condimentos e nas sopas prontas e fuja dos salgadinhos para aperitivos, como batata frita, amendoim e castanha de caju”, afirma.

Além disso, Natália recomenda evitar carnes salgadas como bacalhau, charque, carne seca e defumados. “Modere nas conservas como azeitonas, patês e palmitos, e nos enlatados como extrato de tomate, milho, ervilha e maionese pronta. Não coloque sal antes de experimentar o alimento e substitua o sal por temperos naturais, como cebola, alho, salsinha, cebolinha, orégano, hortelã, limão, manjericão, coentro e cominho, entre outros”.

A nutricionista finaliza dando uma receita útil para os hipertensos e aqueles que querem reduzir o sal nas preparações ou se desfazer dos temperos industrializados de vez. Confira a forma de preparo do ‘Sal de Ervas’:

ervas-para-emagrecer-01

Sal de Ervas

Ingredientes

1 colher de sopa de sal light

3 colheres de sopa de salsa desidratada

3 colheres de sopa de orégano desidratado

3 colheres de sopa de manjericão desidratado

3 colheres de sopa de alecrim desidratado
Preparo 

Bata tudo no liquidificador e armazene em pote de vidro com tampa.