Prefeitura encaminha amostra do asfalto da alameda Padre Nóbrega para análise (Foto: Gustavo Castellon | Grupo IMPACTO)

Alvo de críticas da população e dos vereadores de Adamantina, a qualidade do asfalto aplicado no prolongamento da alameda Padre Nóbrega está sendo analisada por laboratório especializado.

Na sexta-feira (3), em visita técnica ao local, o prefeito Márcio Cardim (DEM) juntamente com o secretário de obras, Wellington Zerbini, providenciaram a coleta de amostras do material executado e o mesmo foi encaminhado para análise. “O Município aguarda o resultado das análises para adotar as medidas, caso necessário”, informou a Prefeitura, ao IMPACTO.

A medida foi tomada devido a aparente falta de qualidade no material empregado no local, conforme vem sendo colocado pela população, principalmente os moradores bairros Eldorado, Eldorado II, Residencial Giuliano, Monte Alegre, Mario Covas e adjacências, que utilizam a nova passagem corriqueiramente.

O caso também entrou na pauta da sessão ordinária de terça-feira (7), da Câmara Municipal. O vereador Alcio Ikeda (Podemos) apresentou requerimento cobrando informações da Prefeitura sobre a obra.

“Existe uma presunção de um problema, aparentemente o material possui menor qualidade em comparação com outras vias, onde foi aplicada a mesma tecnologia. Então o requerimento foi para questionar, tirar esta dúvida. Passando o pé, sem forçar, em alguns pontos o asfalto esfarela. Por ser CBUQ [Concreto Betuminoso Usinado a Quente] não deveria ser desta forma”, disse o parlamentar, que também recomendou a análise por laboratório. “Apesar do custo, a análise é necessária, ainda mais pelo valor da obra”, pontuou.

O convênio, de R$ 1.241.826,93, é proveniente de emenda parlamentar federal de 2014. Após várias interrupções, o trecho da alameda Padre Nóbrega aparentemente foi finalizado há algumas semanas.

Além desta via, o convênio contempla a rua Turquesa, rua Maria Esther Toffoli (no Parque Caldeiras), rua Benedito Lemes de Souza (no Oiti) e Rua XV (no Jardim das Primaveras) para execução de drenagem, construção de galerias tipo aduela de concreto, pavimentação asfáltica, guias, sarjetas, passeio e acessibilidade.

“Até a última medição encaminhada pela empresa em junho, foram executados 36,77% do contrato medidos, encaminhados e aprovados pela Caixa Federal, gestora do contrato de repasse. Os trechos em execução no momento ainda não foram encaminhadas as medições aos técnicos da Prefeitura”, informou a Administração Municipal.