Será realizada na próxima quarta-feira (13), às 19h30, na Câmara Municipal de Adamantina,  audiência pública para debater o projeto de lei, de autoria do vereador Acácio Rocha (DEM), que restringe a soltura de fogos de artifícios, em Adamantina.

Em contato com a reportagem do DIÁRIO, o autor da proposição explicou que a audiência pública está prevista na mensagem do projeto de lei.

“Essa foi uma condição que coloquei para garantir a participação da comunidade nesse debate, sobretudo ouvir e conhecer situações locais, vivenciadas por nossos moradores, em relação aos reflexos da soltura de fogos, sobretudo para pessoas doentes, idosos, autistas e os animais”, explicou o vereador.

Acácio Rocha desta ainda que o encontro vai dar oportunidade de dar amplitude à comunidade sobre essa questão.

“Esse tema parece algo distante e que não se aplicaria à nossa cidade, mas podemos avançar para uma condição de maior maturidade, e de sensibilidade e respeito ao próximo, e simultaneamente também subsidiar todos os vereadores sobre o tema, já que o projeto está pronto para ser submetido à votação e vai exigir, no plenário, o posicionamento de cada um”, completou no vereador.

Além disso, na audiência pública, será exposto informações sobre os impactos provocados pela soltura de fogos em Adamantina e a nível nacional, já que várias cidades brasileiras tem adotado medidas sobre o assunto.

“Na condição de autor do projeto, estou buscando essas referências locais, impactadas pelos fogos, para que apresentem seus relatos e considerações. Devo apresentar também um panorama nacional sobre o tema, que tem avançado em todo o Brasil, inclusive, grandes cidades com tradição em festas de réveillon e soltura de fogos tem adotados medidas semelhantes a Adamantina, e outras até mais radicais, para restringir fogos barulhentos”, ressaltou o autor do projeto.

Ciente de que o tema pode ser alvo de questionamentos e sofrer certa resistência, Acácio Rocha diz que está aberto ao diálogo acerca do assunto e defende a adoção de outras formas de celebrações.

“Reconheço que há um enfrentamento em relação a hábitos, costumes e tradições, mas a sociedade, sensível, é capaz de evoluir e materializar as celebrações, com fogos, sob outras formas. Até então, tenho colhido muito apoio e adesões importantes, e também críticas, mas sempre com espaço para diálogo e esclarecimentos”, finalizou o vereador.

A audiência pública será aberta a toda população.

Com informações do Jornal Diário do Oeste