Avenida Rio Branco receberá decoração natalina novamente este ano (Foto: Arquivo | Grupo IMPACTO)

A tradicional decoração natalina, que encanta a população e atrai visitantes de outras cidades, deverá ser resgatada este ano. É o que planeja a Prefeitura de Adamantina, que se organiza para enfeitar as principais vias da cidade, além de órgãos públicos e praças.

À frente do projeto, a presidente do Fundo Social de Solidariedade, Teresinha Fred, explica que os trabalhos foram iniciados em fevereiro com visita à Santa Fé do Sul, cidade turística referência em decoração natalina no interior paulista. “Estamos resgatando nosso Natal como nas edições da administração Kiko Micheloni que ficou marcada naquela época”.

No ano passado, a decoração foi focada na praça Élio Micheloni. Este ano a Prefeitura pretende estender os enfeites para avenida Rio Branco, pontilhão da rua Joaquim Nabuco e praça do Cristo Redentor. “Para tanto, se faz necessário parcerias com principalmente com a iniciativa privada”, enfatiza.

Em paralelo foi enviado projeto ao Ministério do Turismo, por meio da Prefeitura e Conselho Municipal de Turismo, para destinação de recursos para a decoração. “A vinda desses recursos, se aprovado, nos dará maior amplitude de locais a serem decorados. E, sabemos que a cidade enfeitada atrai turistas durante o período do Natal”, disse Teresinha.

Com tema cor e brilho, o foco do trabalho será em luzes, com investimento previsto em cerca de R$ 100 mil. “Trabalharemos destacando as luzes. Vimos que é isso que chama a atenção da população e visitantes. Também focaremos em apresentações de corais e atividades ligadas ao Natal. Adamantina é pólo regional do comércio. A população de toda a região espera pela decoração natalina”, pontua.

Também, durante o período o Natal, a Prefeitura vai mobilizar a comunidade para decoração nas casas e comércio. “O engajamento é de todos, do Fundo Social, Conselho Municipal de Turismo, Secretaria de Educação e Cultura, Secretaria de Obras e voluntários. E queremos que os lojistas e a população também participem. As ideias florescem, mas nesta época de crise econômica, tudo dependerá dos recursos conquistados para maior ou menor magnitude do evento”, finaliza.