policial militar preso em flagrante por homicídio após disparar e matar um pedreiro, de 29 anos, durante o atendimento a uma ocorrência de desentendimento familiar, em Inúbia Paulista, passou por audiência de custódia na tarde desta sexta-feira (23), no Fórum de Lucélia, e vai responder ao processo em liberdade.

O fato foi registrado na madrugada desta sexta-feira (23), no Centro de Inúbia Paulista. A Polícia Militar informou que foi atender uma briga de família em uma casa e, durante a discussão, o homem teria investido contra os militares, foi quando um dos policiais realizou um disparo para conter o suposto agressor, e acertou o peito da vítima.

O pedreiro chegou a ser levado em parada cardiorrespiratória ao Pronto-socorro de Osvaldo Cruz, mas não resistiu.

De acordo com o delegado Carlos Roberto Vasconcelos, a confusão teria começado com a esposa e um filho dela, os quais queriam que a vítima saísse da residência. O delegado contou que, na versão do policial, o homem pegou uma garrafa de vidro e com ela passou a ameaçar a corporação. Porém, a família do pedreiro nega que isso tenha acontecido.

O delegado da Polícia Civil, Valdir Prado, que atendeu a ocorrência, “entendeu que por conta da distância de cinco metros entre os policiais e a vítima, não tinha necessidade do policial efetuar o disparo e que o policial teve excesso de ação”. Com isso, o militar foi preso em flagrante por homicídio e levado para o 25º Batalhão da PM, em Dracena.

Em nota, a PM disse que os policiais foram ameaçados pelo homem com uma faca e uma garrafa quebrada e que apura os fatos.