O prefeito Gilmar Martin Martins de Parapuã publicou decreto de Situação e Emergência devido à greve geral dos caminhoneiros.

Com isso, a partir desta terça-feira (29), o Departamento Municipal de Saúde terá prioridade absoluta enquanto perdurar estoque de combustíveis nos veículos abastecidos.

Também está autorizada a paralisação de atividades nos departamentos municipais afetados pela falta de combustível e de outros materiais essenciais até a normalização do abastecimento.

“Ficam todos os departamentos municipais, através de seus respectivos responsáveis, autorizados a adotarem todas as medidas necessárias, com o devido plano de racionalização de uso dos insumos, para a manutenção e regularidade das atividades institucionais”, diz o documento.

A Prefeitura também está autorizada a lançar mão da lei em vigor para que possa atender às necessidades de caráter de urgência, o que dispensa licitações.

Na prática o transporte universitário está suspenso desde sexta-feira passada por tempo indeterminado. As aulas na rede municipal de ensino estarão mantidas enquanto houver estoque de merenda.

Por hora o transporte de alunos dentro da cidade está mantido. O maquinário da Prefeitura responsável por serviços e reparos estão paralisados. As obras terceirizadas continuam normalmente.

Sagres

A Prefeitura de Sagres suspendeu as aulas da rede municipal de Educação a partir desta terça-feira. A medida vale devido ao decreto de situação de emergência.

A medida, anunciada pelo prefeito Ricardo Rived Garcia (PSDB), é um efeito da greve dos caminhoneiros.

Com a paralisação, falta combustível – o que compromete o transporte de alunos, além de impedir a chegada de alimentos da merenda escolar. Outra medida que segue valendo é a suspensão do transporte universitário.