Médico veterinário, Rafael Judai, participa de capacitação sobre o medicamento Milteforan

Por muito tempo, a única opção para os donos de pets diagnosticados com a Leishmaniose Visceral Canina era o procedimento de eutanásia. Contudo, um medicamento aprovado recentemente pelo Ministério da Agricultura promete melhorar a expectativa de vida dos animais, principalmente nos estágios iniciais.

Juntamente com um tratamento extensivo, o medicamento Milteforan reduz significativamente a quantidade de parasitas e o cão deixa de ser transmissor da doença.

Porém, o proprietário precisa procurar uma clínica veterinária e pedir a orientação sobre o tratamento e a medicação adequada, alerta o médico veterinário, Rafael Judai, da Clinicão. “O médico veterinário acompanhará a evolução da doença, auxiliando no melhor tratamento. Não será permitida a manutenção do animal sem os devidos cuidados, pois, além de promover o sofrimento dele, expõe os humanos ao risco de zoonose”, disse.

O profissional recomenda ainda cuidado com exames de Leishmaniose. “Hoje em dia, com o surgimento de muitas doenças, podem ter alterações de exames e ter um resultado errado para Leishmaniose Visceral Canina. Para obter um diagnóstico definitivo talvez precise de vários exames, e não apenas tomar decisões no primeiro resultado”, explica Judai, que recentemente participou de treinamento sobre o medicamento Milteforan.

Serviço

A Clinicão está atenta a todas as informações e se atualiza constantemente no aspecto da doença mais frequente na região. Por isso, está disponível para prestar esclarecimentos sobre a Leishmaniose e seu tratamento no: (18) 3522-8755 ou 9.9706-0983.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here