Neto Bechara entrevista o esportista Pedro Minari

“É em contato com a natureza que recarrego minhas baterias”, destaca o esportista Pedro Minari.

Na coluna desta semana, entrevisto com muita satisfação um amigo e companheiro de treinos de muitos anos. São 28 anos na verdade: Pedro Minari.

Este grande esportista nasceu em Valparaiso no ano de 1959 e mudou-se para Adamantina em 1960. A família dele permaneceu em Adamantina até 1964, em seguida, moraram em Paranavaí (Paraná), até 1973 para ser mais exato, onde passou toda a infância.

Então sua família veio definitivamente para Adamantina onde mora até hoje. Estabeleceu família constituída pela esposa Claudia Brandane Minari e filha a Amanda de 14 anos.

Trabalhou em negócio da família (Bar Vitória), posteriormente passou por vários empregos públicos encerrando a carreira como bancário em 2014 na Agencia da Caixa Federal de Adamantina.

Esporte

Pedro disse que conheceu o esporte nas brincadeiras de infância ainda no estado do Paraná onde sem perceber foi adquirindo condicionamento físico e o gosto pelo esporte, que deixou de lado durante a adolescência e só voltou a praticar esportes no serviço militar quando passou por um teste de resistência chamado teste de Cooper onde ficou em primeiro lugar.

Dai em diante já com gosto pela competição e tendo destaque em muitas provas pela região. Em 1979 participou de sua primeira competição de ciclismo que valia pela taça São Paulo de Ciclismo (fase regional) em prova realizada na cidade de Adamantina onde obteve a primeira colocação já demonstrando grande performance terminando o circuito na terceira colocação.

No ano seguinte repetiu a boa colocação na etapa de Adamantina novamente repetindo a terceira colocação no final do campeonato novamente. Ainda em 1980 na festa do ovo na cidade de Bastos participou da primeira corrida a pé iniciando uma carreira de sucesso em corridas de rua.

Pedro conheceu o esporte nas brincadeiras de infância época quando adquiriu condicionamento físico. (Foto: Arquivo Pessoal/Cedida)
Pedro conheceu o esporte nas brincadeiras de infância época quando adquiriu condicionamento físico. (Foto: Arquivo Pessoal/Cedida)

Já são 36 anos dentro dos esportes e segundo ele vai seguir praticando algum esporte enquanto tiver forças para faze-lo. Pedro diz já ser bem realizado dentro do esporte tendo realizado grandes sonhos como completar uma maratona, ter participado de vários triatlos e duatlos.

Tem como resultados mais relevantes vitorias em provas de corrida sendo a maior a vitória na São Silvestre de Parapuã permanecendo como melhor corredor da cidade entre os anos de 1980 a 1986, também considera grandes vitórias as que conquistou nas  provas de Montain Bike na cidade de Dracena validas pela Copa ABD, alguns duatlons pela região sendo o duatlo de Ribeirão Preto o de maior destaque onde se sagrou bi campeão vencendo no ano de 1995 e repetindo o feito no ano de 1997, além da quinta colocação no Triatlo Internacional de Santos fazendo a melhor corrida da sua categoria com o tempo de 35’30” nos 10km de corrida.

Como novo projeto quer voltar às competições regionais e tentar novas conquistas.

O esporte segundo o próprio Pedro é o combustível que alimenta o seu dia e lhe da forças para todo o resto de suas atividades do dia a dia, proporcionando bem estar e saúde.

Para isso sempre teve o apoio da família, Pedro lembra o seu pai ficava esperando chegar das competições para ver como era o troféu que ganhara e hoje em dia a esposa e filha o acompanham em algumas atividades.

Como legado ele e outros remanescentes do esporte deixam o bom exemplo de atleta exemplar e dedicado que levou o nome de Adamantina pela região e por isso ainda é lembrado e reverenciado nas competições.

Lembranças

São muitas lembranças engraçadas durante todos esses anos e ele relata uma história onde em um treino passaram ao lado de um caminhão de boi assustando os animais e um deles deu um coice jogando bosta de vaca no parceiro que vinha atrás que no caso era eu.

Em sua mensagem final ele diz “todos devem conhecer e praticar algum esporte sem uso de substancias ilícitas, buscando saúde para que possa se beneficiar do esporte ao longo de toda vida e buscar a integração entre todas as pessoas”.