Caged aponta saldo negativo na geração de emprego em Lucélia

Entre os seis municípios da microrregião de Adamantina com mais de 10 mil habitantes, quatro registraram saldo negativo em relação à criação de empregos formais no mês de setembro. Lucélia é um deles, com 179 demissões a mais do que contratações no período.

Os dados foram divulgados na quinta-feira (19) pelo Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), do Ministério do Trabalho e Emprego. Em todo o Brasil, o mês de setembro fechou com crescimento de 34.392 postos de trabalho, aumento de 0,1% em relação ao estoque do mês anterior.

Lucélia

Apesar da variação negativa no mês passado, o município apresenta saldo positivo em 2.017. O setor que apresenta o melhor desempenho no ano é a indústria de transformação, com um saldo positivo de 581 novos empregos. O outro setor no qual foram mais contratados do que demitidos é a construção civil, com 22 novos postos de trabalho criados em Lucélia.

Já o setor de serviços teve uma queda significativa, criando um déficit de 440 postos de trabalho. No comércio também houve mais desligamentos este ano, com um saldo negativo de 30 empregos.

Se considerar os últimos 12 meses, o panorama muda. Lucélia fechou 356 vagas de emprego, enquanto Adamantina abriu 71 novas oportunidades no mesmo período.

Adamantina

Os setores que impulsionam a geração de emprego no município foram agropecuária, com saldo de 345 empregos, indústria de transformação (163), serviços (88) e administração pública (58), resultando saldo de 559 novos postos de trabalho no ano, em Adamantina.

Em setembro, a cidade contratou mais do que demitiu, ficando com saldo de 37 empregos.

Microrregião

Na microrregião, além de Lucélia, Parapuã (-81), Osvaldo Cruz (-67) e Pacaembu (-1) demitiram mais do que contrataram no último mês. Já Flórida Paulista, que acumula resultados negativos nos últimos meses, abriu 11 novas oportunidades de trabalho.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here