Há 45 dias sem chuvas significativas, a população de Adamantina já sofre com o tempo seco. E não é à toa. Nesta quinta-feira (27), a umidade do ar chegou a 20%, segundo o Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia).

Para a OMS (Organização Mundial de Saúde), o nível ideal de umidade do ar para o organismo humano gira entre 40% e 70%. É considerado estado de atenção quando a umidade do ar varia entre 20 e 30%, estado de alerta entre 12 e 20% e estado de emergência é quando a umidade fica abaixo dos 12%.

O último dia de chuva forte registrado pelo Ciiagro (Centro Integrado de Informações Agrometeorológicas) na cidade foi em 14 de junho, quando choveu 25,2 mm. Já em 21 de junho, último dia de chuva, foi de apenas 0,5 mm.

O resultado da falta de chuva, que resulta em baixa umidade do ar, e temperaturas altas, já que a previsão desta sexta-feira (28) é dos termômetros chegarem à 28ºC, traz consequências para saúde da população.

A otorrinolaringologista Larissa Macedo Camargo afirma que, com a baixa umidade, as mucosas dos olhos, da boca e do nariz ficam ressecadas, favorecendo a atuação de agentes externos, como vírus e bactérias. As principais doenças que se manifestam nesse período são as infecções das vias aéreas, como rinites, sinusites, pneumonias e asma.

“Com a desidratação da mucosa, além da facilidade de aderência desses agentes externos, as células do sistema imunológico têm mais dificuldades de chegar às vias áreas. Então, o aporte de células de proteção é reduzido”, explica.

Para reduzir as consequências do clima seco, a receita é investir na hidratação, consumindo muitos líquidos e lavando o nariz com soro fisiológico, além de hidratar a pele para evitar dermatites. A médica também orienta evitar locais com aglomeração de pessoas e deixar os ambientes limpos e arejados. Ela recomenda o uso de umidificadores de ar apenas por curtos períodos, para que não haja proliferação de mofo no ambiente.

Com o tempo seco, o período recomendado para a prática de atividades físicas é antes das 10h e após as 17h. Outras orientações são usar roupas leves, fazer refeições leves, incluindo frutas e verduras, usar sombrinha ou guarda-chuva para andar nas ruas no período mais quente. A hidratação deve ser reforçada nas crianças, com a ingestão de bastante líquido. Os idosos também exigem atenção, pois são suscetíveis a problemas respiratórios. Com informações da Agência Brasil

Efeitos do ar seco

:: Complicações alérgicas e respiratórias devido ao ressecamento do ar (pessoas com asma e bronquite são as mais suscetíveis)
:: Sangramento pelo nariz
:: Ressecamento da pele
:: Irritação dos olhos