Pastor Samuel, pastorsamuelpereira@yahoo.com.br

Quem veio ao mundo, lá em Belém, e para quê? Pensamentos sobre o Natal

Há algum tempo, o bebê de uma polonesa nasceu em pleno voo, entre Bombaim e Roma. Algumas comissárias a auxiliaram durante o parto. Quando a criança havia nascido, os 150 passageiros a saudaram com aplausos.

Há 2.000 anos, numa noite em Belém, Deus que não está vinculado ao tempo penetrou em nosso espaço, em nosso planeta. O Ser ilimitado e infinito assumiu a figura de um bebê. Ele Se tornou um ser humano com todas as suas conseqüências e limitações, até à morte. Quando nasceu o filho de Maria, não havia ninguém que a ajudasse no parto. Quando a criança gritou pela primeira vez, ninguém imaginava o poder da mensagem que havia por trás desse grito. Em todo caso, não houve aplausos.

Quem, naquela ocasião, veio ao mundo e para quê? A Escritura Sagrada nos fornece as respostas a essas perguntas.

“No sexto mês [da gravidez de Isabel, mãe de João Batista e prima de Maria] Deus enviou o anjo Gabriel a Nazaré, cidade da Galileia, a uma virgem...” (Lucas 1.26-27a). Assim inicia o relatório sobre o Natal, no Evangelho de Lucas. Deus enviou um mensageiro a partir do mundo invisível ao encontro de uma virgem. O Natal tem sua origem em Deus. Ele é o empreendedor e o principal agente. O Natal é Sua ideia e Sua ação. A cada ano, quando colocamos as bolas de enfeite na árvore de Natal ou quando deixamos alguma cair deveríamos ter consciência: o Natal se refere a Deus! Sua iniciativa pretende restabelecer o relacionamento entre Ele e as pessoas. A mensagem de Natal diz: Deus procurou e encontrou uma maneira para possibilitar o encontro entre Ele e nós.

Quando Maria perguntou como seria possível que tivesse um filho, sem ter tido contato qualquer contato sexual com homem, o anjo lhe respondeu: “Pois nada é impossível para Deus” (Lucas 1.37).

O maior mistério com o qual os evangelhos nos confrontam não é a mensagem do perdão e da sexta-feira da paixão, nem mesmo a mensagem da ressurreição da Páscoa, mais é a mensagem do Natal, quando Deus Se tornou uma Pessoa, semelhante a nós, para que pudéssemos compreendê-Lo. Paulo escreveu: “Ele é a imagem do Deus invisível, o primogênito sobre toda a criação” (Colossenses 1.15). Ao invés de nos comunicar por escrito como Ele é, Deus veio pessoalmente até nós ao implantar Seu Espírito em uma virgem Ele veio à natureza do nosso planeta. Tão minúsculo como um óvulo fecundado, quase invisível aos olhos. O óvulo transformou-se num embrião até que o feto assumisse a forma de uma pessoa. O Ser divino em pele humana.

Para Deus foi possível implantar o “código” do Seu Ser em Maria, que veio ao mundo em forma de bebê, nove meses depois! Um bebê! Incapaz de fazer nada além de ficar deitado, de olhar ao redor e de emitir alguns sons.

Nada é tão comovente como a verdadeira encarnação de Deus. Compreender isso é o ponto chave da fé cristã. Deus penetrou em Seu universo ao tornar viável o que até então era invisível. Nada é impossível para Deus. Nem mesmo entrar em Sua própria Criação. Jesus é Deus, o Filho. É totalmente Deus e, além disso, tornou-Se totalmente Homem, somente para nos salvar da condenação eterna que é o inferno. É verdade, que seremos salvos se de fato, O reconhecermos como Salvador para tal.

Deus nos conhece. Ele está presente. Ele tem condições de realizar o Seu plano para nossas vidas, apesar das nossas circunstâncias.

Feliz Natal.