Desorganização de ganhadora de licitação quase deixa árbitros sem colchões nos Jogos Regionais de OC

Pedido de ajuda do Estado à Prefeitura evitou que árbitros ficassem sem ter onde dormir

Situação em que se encontravam as camas da arbitragem para os Jogos Regionais em Osvaldo Cruz
Situação em que se encontravam as camas da arbitragem para os Jogos Regionais em Osvaldo Cruz

Um pedido da SELJ (Secretaria de Estado de Esporte, Lazer e Juventude) à Prefeitura de Osvaldo Cruz para o transporte de colchões evitou que árbitros designados para as primeiras disputas dos Jogos Regionais 2017.

Até por volta de 20 horas os próprios árbitros haviam denunciado que havia camas, mas não colchões onde os juízes fossem dormir. Os próprios árbitros enviaram à imprensa as imagens que ilustram esta matéria onde mostraram as camas vazias.

Segundo nota da Secretaria Municipal de Cultura, Esportes e Turismo, houve um pedido da Secretaria Estadual para que a organização local das competições fizessem a logística para o transporte de 80 colchões até a Escola Estadual “Benjamin Constant”, local onde a arbitragem está alojada.

Por volta de 20h30, como mostram as fotos desta matéria, a situação foi normalizada.

Preocupação com outros itens da organização

O comitê local já havia antecipado em entrevista a preocupado com a organização dos Jogos Regionais.

O motivo é que neste ano, o Estado de São Paulo contratou, via licitação, uma empresa para cuidar de 90% da organização dos Regionais, deixando apenas uma parte para as cidades sedes.

Mas onde foi feita a realização dos Jogos, a empresa não tem cumprido com aquilo que fora contratado e, em alguns casos, não houve nem mesmo a entrega de troféus e medalhas para os vencedores de modalidades, como os casos de Andradina e Americana.

Preocupada, a organização local já trabalhou um “Plano B”. “Estamos tomando providências e pensando em “Plano B” para que os Jogos não venham ter problemas de realização”, disse o secretário Odair Cavalcante.

Situação em que se encontravam as camas da arbitragem para os Jogos Regionais em Osvaldo Cruz
Situação em que se encontravam as camas da arbitragem para os Jogos Regionais em Osvaldo Cruz

Problemas em outras cidades

Problemas como este da falta de colchões em Osvaldo Cruz foram comuns durante a 61ª edição dos Jogos Regionais, que ocorreram na primeira quinzena de julho nas cidades de Caraguatatuba, Americana, Andradina e Sorocaba. A competição reúne mais de 40 mil atletas das oito regiões esportivas do estado de São Paulo. A segunda etapa serão nas cidades de São Bernardo do Campo, Lençóis Paulista, Sertãozinho e Osvaldo Cruz.

Com problemas na licitação para a compra das medalhas, a Secretaria de Esporte, Lazer e Juventude do Estado de São Paulo (SELJ), organizadora dos Jogos, acabou não conseguindo entregar as medalhas a tempo.

Em nota, a Secretaria de Esporte, Lazer e Juventude do Estado de São Paulo (SELJ) confirmou a falta de medalhas, mas afirma que o problema será solucionado na próxima semana.

Confira abaixo a nota na íntegra:

A Secretaria de Esporte, Lazer e Juventude do Estado de São Paulo (SELJ) esclarece que todos os três primeiros colocados de cada modalidade nos 61º Jogos Regionais, bem como suas respectivas comissões técnicas, receberão medalhas. Em alguns casos, por conta de entraves burocráticos da licitação de compra, o material para premiação não estava disponível no início das competições, mas os atletas receberão medalhas a partir da próxima semana, quando todas as cerimônias contarão com a tradicional entrega. A Secretaria lamenta e pede desculpas pelo ocorrido. O imprevisto ocorreu nas oito Regiões Esportivas. No caso de atletas que tenham direito a medalha não estarem mais na cidade-sede, as medalhas serão enviadas para as prefeituras pelas quais os esportistas foram inscritos, que ficam então responsáveis pela entrega.