Após registrar saldo positivo de 709 postos de trabalho em abril, a geração de emprego desacelerou no mês seguinte na microrregião de Adamantina. A diferença entre admissões e desligamentos foi de 27 postos de trabalho, conforme o Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), do Ministério do Trabalho, divulgado na quarta-feira (20).

Parapuã, com a criação de 42 novas oportunidades de trabalho, Adamantina (33) e Pacaembu (6) foram os únicos municípios com mais de 10 mil habitantes da microrregião que contrataram mais do que demitiram no mês de maio.

Já Osvaldo Cruz, com o fechamento de 45 postos de trabalho, Lucélia (-34), Flórida Paulista (-20) e Rinópolis (-9) registraram saldo negativo no Caged, que considera os empregos com carteira assinada.

O país também registrou queda na geração de emprego em maio se comparado com o resultado do mês anterior. Foram 82.239 empregos a menos em relação a abril, quando 115.898 vagas foram criadas com carteira.

Mesmo o índice sendo menor em maio, o Brasil criou 33.659 postos de trabalho – o quinto resultado positivo consecutivo.  “Os bons resultados foram registrados em praticamente todos os estados e em setores importantes, como a indústria, serviços e comércio. Estamos otimistas de que esses bons resultados continuarão se repetindo ao longo do ano”, destaca o ministro do Trabalho, Helton Yomura.