Direcionado a graduados, pós-graduandos e pós-graduados, o CPC registrou 121 inscritos em todas as noites de evento (Foto: Priscila Caldeira | Da UniFAI)

Os Congressos Científicos do Centro Universitário de Adamantina (UniFAI) reuniram pesquisadores de cidades da região e de outros estados no XI Congresso de Iniciação Científica Júnior (CIC Júnior), XII Congresso de Iniciação Científica (CIC Universitário) e VIII Congresso de Pesquisa Científica (CPC), nos blocos I e III do Câmpus II, de 22 a 26 de outubro. No total 1.145 trabalhos foram apresentados ao longo da semana.

Direcionado a graduados, pós-graduandos e pós-graduados, o CPC registrou 121 inscritos em todas as noites de evento, tanto nas apresentações orais quanto em pôsteres.

“A partir do momento em que se faz a pesquisa com seriedade, a pessoa entra em contato com a fronteira do conhecimento de tudo o que está sendo produzido na área naquele momento. O CPC é um espaço para divulgar a produção acadêmica e, ao mesmo tempo, torna o currículo do pesquisador mais robusto. A produção científica não tem como se desvincular do ensino e da extensão”, ressalta o pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação, Prof. Dr. José Aparecido dos Santos.

De Campo Mourão, estado do Paraná, a doutoranda em Engenharia e Ciência de Alimentos na UNESP de São José do Rio Preto, Larissa Rocha dos Santos, explica o que a chamou atenção nos congressos da UniFAI.

“Todos os alunos podem participar do evento, inclusive na modalidade Júnior. Eu nunca tinha visto em outras instituições. Achei muito interessante essa integração na pesquisa. É uma forma de alunos que estão fazendo iniciação científica também se inserirem e futuramente seguir carreira acadêmica”, comentou Larissa que pretende participar da próxima edição do CPC com parte da pesquisa do doutorado.

A colega do programa de pós-graduação de Larissa é ex-aluna das então Faculdades Adamantinenses Integradas (FAI). Maria Paula Fortuna Clara conta sobre o ingresso na área acadêmica e a importância de participar do evento científico da instituição.

“Formei-me em Engenharia de Alimentos na FAI em 2016. Em 2017 já entrei no mestrado em Rio Preto. Minha linha de pesquisa é em óleos e gorduras, a da Larissa também. Como a gente acabou se conhecendo lá eu a trouxe para participar desse congresso gratuito. É uma grande oportunidade, pois a gente sabe como é custoso participar de eventos científicos em outros lugares. A UniFAI abre portas, sendo um atrativo para as pesquisas, desde o CIC Júnior, onde há o envolvimento das criança e da família nesse meio científico”, disse Maria Paula.

O pró-reitor de Pesquisa adianta uma possível mudança de formato para os congressos a partir da próxima edição: “Já estamos pensando para o próximo ano um novo formato para o evento, inclusive com palestras durante o dia, minicursos e também apresentações de trabalhos”, adiantou.

As premiações dos congressos estão marcadas para o dia 24 de novembro no auditório Miguel Reale, Câmpus II da UniFAI.