Brunello de Montalcino: um clássico da Toscana

O Santo Vinho, coluna de Silvio Graboski

Não é sempre que se tem a oportunidade de degustar um Brunello, por isso ele vem à mesa em ocasiões especiais.

O Brunello é um dos melhores vinhos da Toscana (Itália), por isso não são baratos, mas seu nível de qualidade é altíssimo, nunca deixa a desejar. É um verdadeiro clássico mundial.

O Brunello é produzido no entorno da cidade de Montalcino, ao sul de Siena, onde encontra-se a DOCG (Denominação de Origem Controlado e Garantida) Brunello de Montalcino.

Em toda a Toscana a uva predominante é a Sangiovese Piccolo, de bagos pequenos, que produz os famosos vinhos Chiantis. Entretanto, em Montalcino, a Sangiovese cultivada é a de bagos grandes, a Sangiovese Grosso, chamada localmente de Brunello. A palavra italiana “bruno” significa “escuro” e a Brunelo é assim chamada por causa de sua casca escura, quase marrom. Essa característica é a responsável pela cor vermelho-escuro, quase preta do vinho, que vai clareando para um vermelho-tijolo ao envelhecer.

As regras para a produção do Brunnello são rigorosas e isso é uma das razões para que o seu preço seja alto: precisa envelhecer por pelo menos 24 meses em barricadas de carvalho e não pode ser liberado para a venda até o seu quinto ano.

Para aproveitar todo o potencial do vinho deve-se bebê-lo após uma década, às vezes ele tem potencial para ser guardado por até duas décadas.

A região produz também outro famoso vinho, o Rosso de Montalcino, feito com as mesmas uvas e apelidado de Brunelinho. É um vinho mais simples, menos complexo e mais barato, mas ainda assim é um grande tinto.

Mastro Janni, Brunello de Montalcino, Vigna Loreto, 2008: esse foi o vinho degustado.

Maturato por 36 meses em barris de carvalho francês e com 10 anos de vida, o vinho mostrou uma cor vermelho-atijolado.

Os aromas apresentaram toques de frutas vermelhas, muita baunilha característica da passagem por madeira, tabaco e pimenta-do-reino. Em boca mostrou-se potente, também, pudera, o vinho tem incríveis 15% de álcool, complexo, com taninos presentes e maduros, com sabores de baunilha, especiarias como noz moscada e certa picância.

Na harmonização foi perfeito com cordeiro assado na brasa, amaciando a gordura e ressaltando o gosto da carne. Um verdadeiro veludo líquido na boca.

Se você quer saborear um vinho clássico, elegante, firme, forte, potente, denso, complexo e rico, experiente um Brunello de Montalcino.