Pais e estudantes do curso de Medicina acompanham leitura de Projeto de Lei sobre internato na sessão desta segunda-feira (3) (Foto: João Vinícius | Grupo IMPACTO)

Com enredo de novela mexicana, o futuro internato dos alunos do curso de Medicina da UniFAI (Centro Universitário de Adamantina) teve mais um capítulo nesta segunda-feira (3). A história, que conta com todos os requisitos de um ‘dramalhão’, será definida na próxima semana, quando os vereadores devem aprovar Projeto de Lei que autoriza a autarquia municipal celebrar Termo de Colaboração com a Santa Casa de Araçatuba.

Elaborado pelo corpo técnico da UniFAI, a proposta foi encaminhada pelo prefeito Márcio Cardim (DEM) após quebra de braço com os estudantes de Medicina. Na mensagem do Projeto de Lei, o Chefe do Executivo que assina o documento justifica a escolha da Santa Casa de Araçatuba para ser utilizada no período de internato.

“O Centro Universitário de Adamantina – UniFAI, com efeito, necessita de local adequado para o oferecimento do internato aos seus alunos e a escolha da Santa Casa de Araçatuba pela coordenação do Curso de Medicina levou em conta a quantidades de leitos de UTI oferecidos (quarenta e quatro, ao todo), a proximidade da sede da autarquia (aproximadamente 120km – facilitando o deslocamento dos internos e dos professores), o valor oferecido pelo serviço (R$2.900,00/interno – abaixo da média praticada), o grau de complexidade para atendimentos de saúde, a iminente certificação de ‘Hospital Escola’, que deverá ser fornecida pelo Ministério da Saúde, conforme Portaria Interministerial nº 285, de 24 de março de 2015, a partir da implementação do internato, bem como a inexistência de outro local adequado”, consta na mensagem do Projeto.

Além do repasse mensal por aluno, a UniFAI investirá na Santa Casa de Araçatuba o valor de R$ 115.846,34 para fins da reforma e adequação da estrutura física à execução do internato. A instituição de ensino deve ainda investir R$ 232.650,00 em material necessário para este período de estudos que será cedido ao hospital.

Pais e alunos do curso de Medicina acompanharam a leitura da proposta na Câmara Municipal, que será analisada pelos legisladores nesta semana e votada na segunda-feira (10).

“Gostaria de registrar que o episódio lamentável ocorrido há 15 dias foi patrocinado por ausência de uma sintonia maior entre a Reitoria [da UniFAI] e o Executivo. Entendemos que um episódio daquela natureza não pode ocorrer, pois fragiliza todo o processo, fragiliza as decisões e perde-se credibilidade. As ações da Reitoria e do Executivo com a participação do Legislativo devem-se caminhar sentido contrário, para o fortalecimento da UniFAI, fortalecimento do curso de Medicina, estes são os objetivos maiores. Esperamos que os lamentáveis acontecimentos sirvam de reflexão crítica para Reitoria da UniFAI e também para o Executivo. Solicitamos ao prefeito que enviasse o Projeto à Câmara, mas não concordou. E o Projeto está aqui hoje. Poderia ter sido evitado todo o celeuma que prejudicou todo mundo. Com toda a certeza todos os vereadores serão favoráveis ao Projeto”, pontuou em sua fala, o vereador Hélio José dos Santos (PR).

Vereador Hélio José dos Santos (PR) questiona posicionamentos da Reitoria da UniFAI e do Executivo municipal (Foto: João Vinícius | Grupo IMPACTO)