O envio de um Projeto de Lei pelo prefeito de Lucélia, Carlos Ananias Júnior (PSB), para apreciação da Câmara Municipal, trouxe muita polêmica nas redes sociais. Motivo: o conteúdo da proposta, que prevê alterar a porcentagem da gratificação mensal para até 80% aos servidores municipais.

O Projeto de Lei Complementar n° 021/2018, enviado em 27 de março para o presidente da Câmara de Vereadores, Antônio Carlos Rios, propõe alteração na porcentagem da gratificação mensal do servidor designado a desempenhar funções que não estão nas suas atribuições, de acordo com a necessidade da Administração.

Segundo a proposta, o porcentual da gratificação será conforme a complexidade da função desempenhada. Ainda, segundo o Projeto de Lei, a “gratificação de função corresponderá ao porcentual de até 80%, calculada sobre o vencimento mensal”.

Porém, sem especificar quais cargos poderiam ser beneficiados com a mudança da legislação e seu impacto financeiro no orçamento da Prefeitura, o projeto de lei foi questionado pela população.

“Enquanto setores se sucateiam, o funcionalismo com salários ruins, desmotivados, a cidade esta um lixo, uma vergonha para a região. Falta de discernimento! Falta de vergonha na cara! Falta de compromisso com o dinheiro do povo! Me sinto envergonhado em ser luceliense e ouvir piadinhas sobre minha cidade. Uma piada regional e estadual essa administração, que adora vídeos no Facebook!”, postou indignado o luceliense Alex Marcel, em uma rede social.

Devido à repercussão negativa da proposta, a Prefeitura de Lucélia informou ao IMPACTO que o “referido Projeto de Lei foi retirado”.