Aleitamento materno e seus benefícios para saúde bucal do bebê

Com intuído de orientar as gestantes de Adamantina, o Grupo de Apoio Materno Infantil busca acompanhar as mulheres grávidas antes e após o parto

Para uma gravidez tranquila é necessário a gestante se orientar não apenas com seu médico Ginecologista ou Obstetra, mas com outros profissionais que visam garantir a saúde da futura mamãe e do bebê, como Enfermeiras Obstétricas, Pediatras, Nutricionistas, Fisioterapeutas, Psicólogos e Fonoaudiólogos, além do Dentista Pediátrico, que fará pré-natal odontológico.

“É muito importante à comunicação entre nós, colegas da área da saúde. Devemos, juntos, assegurar a saúde da gestante”, enfatiza a dentista, Fabiana Freire Marin Pacheco. E, com intuído de orientar as gestantes de Adamantina, a profissional está à frente do GAMI (Grupo de Apoio Materno Infantil), que busca acompanhar as mulheres grávidas antes e após o parto.

Durante os encontros promovidos pelos profissionais das diversas áreas da saúde, o Grupo trabalha os cuidados necessários na gestação e orienta sobre as medidas que devem ser tomadas para garantir a saúde do bebê. “Em especial incentivamos o aleitamento materno exclusivo, com palestras e encontros de orientação em postos de saúde, escolas e na comunidade em geral”, explica.

Leite materno

Segunda Fabiana, o trabalho é focado em ensinar as mamães e os bebês o ato de amamentar, que possui nutrientes e substâncias de proteção ao organismo como nenhum outro. “É o mais indicado sempre! A sua composição é dinâmica, de acordo com a extração realizada pelo bebê. Essa característica do leite materno, que não está disponível em nenhum outro leite, é a chave para o crescimento e desenvolvimento infantil, pois sempre está adaptado às necessidades”, afirma.

O volume do leite, a quantidade de gorduras e os componentes celulares são regulados pela frequência de mamadas e esvaziamento mamário, diz a profissional. “Quando é dito que o leite humano é espécie-específico, isso quer dizer que todos os nutrientes presentes no leite da mãe são exatamente os que seu bebê necessita. Como mãe e bebê estão sempre juntos, todas as bactérias, vírus que entram em contato com eles são transformados em defesa do organismo, que são liberados no leite materno para a proteção de seu próprio bebê, já que este ainda não possui imunidade amadurecida”.

O leite de cada mãe possui a programação genética para o crescimento e desenvolvimento de seu filho, de acordo com as características familiares, tipo físico e necessidade nutricionais. “Por isso, toda mãe precisa de apoio e auxílio para as mamas serem esvaziadas, para que ela amamente com frequência, para que ela retire o que estiver sobrando (até para doar) e para haver maior ingestão de gordura (para sustentar bem o bebê)”, afirma.

indice-copia

Odontopediatria

Além de orientações sobre os cuidados com os bebês, como o aleitamento materno, Fabiana diz que o melhor conselho que se pode dar a uma mulher que está pensando em engravidar é ir ao dentista e resolver todos os problemas bucais antes de ficar grávida.

“Durante a gestação seus dentes e gengivas precisam de cuidados especiais. Uma higiene bucal adequada, uso diário de fio dental, uma alimentação equilibrada e visitas periódicas ao dentista são medidas que ajudam a reduzir os problemas dentários que acompanham a gestação”, explica.

Há cada vez mais evidências sugerindo a existência de uma relação entre as enfermidades gengivais e os nascimentos prematuros, e de bebês que nascem com peso abaixo do normal. Um dos problemas que pode acometer em grávidas é a gengivite, que é a doença periodental mais comum. “Este problema é o acúmulo de placa bacteriana no sulco gengival, deixando-a inflamada e pode também sangrar”.

Outro problema é a cárie, que é a principal doença transmitida dos adultos para os bebês no contato pelo beijo. “A cárie é uma doença infecciosa, transmitida pela saliva, sendo o beijo uma das principais formas de transmissão. As crianças, principalmente de seis meses a quatro anos, são mais propensas a “contrair” a doença, pois nesta fase elas entram em contato com muitas bactérias  e o sistema imunológico ainda não esta totalmente amadurecido. E a saúde bucal do bebê será a mesma da mãe, sendo necessário dar exemplo”, explica Fabiana.

Por isso, é recomendado o pré-natal odontológico. “O ideal é receber todas as orientações e informações antes de engravidar, mas o trimestre escolhido para tratamento odontológico é o 2º, e do 4º ao 6º mês. Em caso de dor, independente do período, é necessário passar por emergência odontológica”, enfatiza Fabiana, que completa: “nós, dentistas pediatras, temos procurado valorizar e demonstrar a importância deste período, investindo na educação e nos cuidados com a gestante, pois, como se sabe, a saúde bucal é parte indissociável da saúde geral”, enfatiza.

A profissional recomenda ainda que as mães devem levar seus filhos ao completar três anos no Odontopediatria/Ortopedia Funcional dos Maxilares, pois estará já com dentição completa, podendo ser avaliado os hábitos bucais da criança e, se necessário, iniciar a correção com aparelhos funcionais ortopédicos ou móveis. “A Ortopedia Funcional dos Maxilares trabalha com a prevenção e tratamento das más-oclusões, direcionamento do crescimento ósseo e muscular da face, remoção dos hábitos bucais nocivos e com as dores articulares da face”.

Vantagens do aleitamento materno: aspectos odontológicos

:: O bebê aprende a respirar pelo nariz;
:: O bebê aprende a correta posição da língua para deglutir;
:: As arcadas se desenvolvem com equilíbrio e têm um melhor desenvolvimento e crescimento do sistema mastigatório;
:: Os dentes nascem com o melhor posicionamento, proporcionando melhor estéticas facial e um melhor funcionamento dos músculos e articulações;
:: Digestão saudável;
:: Melhor postura da coluna vertebral;
:: Oclusão ideal (mordida correta e funcional).

Desvantagens de não mamar no peito: aspectos odontológicos

:: Os bebês respiram pela boca (respirador bucal);
:: A deglutição atípica (errada) porque a língua se posiciona incorretamente;
:: Desarmonia do crescimento ósseo e muscular da face (criança tem preguiça de mastigar);
:: Dentes mal posicionados;
:: Problemas na fala;
:: Falta de selamento labial tendo maior chance de aparecimento de doenças gengivais;
:: Mal funcionamento dos músculos e articulações;
:: Problemas posturais (coluna vertebral);
:: Más oclusões (mordidas erradas como abertas, cruzadas e profundas);
:: Aparecimento de alergias respiratórias (sinusite, rinite e asma);
:: Pode haver ainda hipertrofia de adenóide, amigdalite, otite e desvio de septo);
:: Pode desenvolver um sono agitado, ronco, terror noturno, apneia do sono enurese noturna tardia;
:: Maior chance de adquirir hábitos bucais nocivos (mamadeira e chupeta).

Serviço

Mais informações sobre a atuação do GAMI com a dentista Fabiana Freire Marin Pacheco, que atende na Clínica Gerar Sorrisos. Rua Fioravante Spósito, 249 – centro de Adamantina. Telefone: (18) 3521-1667 ou 3521-1469.