Dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) divulgados nesta quarta-feira (27) apontam que Adamantina registrou saldo positivo de apenas um emprego em novembro – mês em que entrou em vigor a reforma trabalhista.

Segundo o Ministério do Trabalho, a cidade demitiu 214 trabalhadores e contratou outros 215. Apesar do resultado irrisório do mês passado, o saldo anual é positivo – 595 novos postos de trabalho em 2.017.

Em relação ao país, o primeiro mês de vigência da reforma trabalhista também não apresentou resultados satisfatórios. O Brasil fechou 12.292 vagas com carteira assinada em novembro, interrompendo sequência de sete meses de criação de vagas. Em outubro, haviam sido criados 76.599 mil postos de trabalho.

O governo conseguiu aprovar a reforma trabalhista no Congresso defendendo que as mudanças na CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) gerariam empregos e diminuiriam a informalidade no mercado de trabalho. A reforma entrou em vigor em 11 de novembro.

O ministério do Trabalho argumenta que o saldo negativo em novembro foi decorrente das demissões na indústria, que costuma fazer desligamentos nessa época do ano num cenário em que “todas as encomendas já foram atendidas”. As demissões na construção civil também seriam sazonais, segundo o ministério, devido à paralisação de obras no período de chuvas.