Indignada, moradora posta situação de tapa-buraco realizado pela Prefeitura (Fotos: Reprodução | Facebook)

Vai chegando o final do ano e com ele começa o planejamento para as contas dos primeiros meses de 2.018. Entre os impostos pagos pelos contribuintes está o IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores), cobrado anualmente de veículos terrestres por estados e o Distrito Federal.

Adamantina aparece como a 66ª entre as 100 principais cidades do país com maior arrecadação de IPVA per capita em ranking nacional de estudo sobre condições fiscais e o papel dos municípios brasileiros. O dado, lançado na segunda-feira (6), pela FNP (Frente Nacional de Prefeitos), se refere a 2.016 e consta na 13ª edição do anuário Multi Cidades — Finanças dos Municípios do Brasil.

Pelo estudo, foram arrecadados em 2.016 um total de R$ 6.307.264,48, o que é equivalente a R$ 179,72 por habitante — a estimativa populacional era de 35.094 habitantes, segundo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Apesar de estar na mesma colocação da edição anterior, a arrecadação per capita cresceu cerca de R$ 10 em relação à 2.015.

A média da receita dos municípios brasileiros com IPVA foi de R$ 96,24 por habitante.

Ruas esburacadas

Porém, a arrecadação expressiva per capita não significa necessariamente em condições melhores das vias públicas. Segundo a Constituição federal, as receitas adquiridas com a cobrança de impostos, como IPVA, não podem ser vinculadas.

Apesar de o dinheiro arrecadado não precisar ser utilizado pela administração pública na manutenção de ruas e avenidas, a população aguarda melhorias, principalmente em Adamantina, onde os buracos se multiplicam e as operações tapa-buracos são questionadas.

Nesta semana, a moradora Lis Gonçalves postou em uma rede social sua indignação com a situação das vias de Adamantina. “Depois de muita reclamação, hoje cedo [segunda-feira (6)] vieram tapar os buracos. Misericórdia! Que serviço é este? Simplesmente jogaram pedras nos buracos. Fora isso, só fizeram nos buracos da rua que os moradores reclamaram. O restante do bairro está uma lástima! A isso eu chamo de desrespeito com o contribuinte, de traição e hipocrisia. A cidade está horrível! O nosso bairro está esquecido. A energia cai com qualquer ameaça de chuva, os encanamentos da Sabesp vivem estourando, o asfalto todo arrebentado. Prefeito e vereadores, está difícil de aceitar qualquer desculpa para tudo isso. A população não suporta mais”, lamentou, a moradora do Parque Iguaçu.

As reclamações se estendem por todos os cantos da cidade, como na alameda Padre Anchieta – próximo ao campo do Marroco -, onde as crateras dominam a rua.

Outro lado

Questionada pelo IMPACTO sobre balanço da operação tapa-buracos realizado este ano e previsão de recapeamento, a Prefeitura informou que necessita de mais prazo para responder a solicitação.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here